Judiciário realiza entrega de material reciclável à cooperativa

18/04/2022
Michael Mesquita

O Poder Judiciário do Maranhão, por meio da Corregedoria Geral da Justiça e do Fórum Des. Sarney Costa, realizou na manhã desta segunda-feira, 18, a entrega de 98.634 processos físicos, sem utilização, cuja beneficiada com o material reciclável foi a Cooperativa de Reciclagem de São Luís (COOPRESL).

A entrega foi na sede da Divisão de Gestão e Controle Ambiental da CGJ-MA, que fica no Parque Pindorama, e contou com a participação do corregedor-geral da Justiça, desembargador Paulo Velten; do presidente do Núcleo Socioambiental do Tribunal de Justiça, desembargador Jorge Rachid Mubárack Maluf; da juíza Andréa Perlmutter Lago, diretora do Fórum Sarney Costa; do juiz auxiliar da CGJ-MA, Anderson Sobral; e dos desembargadores Fróz Sobrinho, Marcelino Chaves Everton e Vicente de Paula Gomes de Castro, vice-presidente do Tribunal de Justiça.

Segundo Gilmar Alves de Amorim, presidente da COOPRESL, o material entregue pelo Judiciário vai beneficiar diretamente 34 famílias. “Essa parceria entre a cooperativa e o Poder Judiciário é extremamente importante para nós, principalmente no mês que essa ajuda chega. Isso porque o volume, o montante, representa um saldo positivo ao final do mês para todas as famílias que trabalham com a gente. É gratificante para nós a sensibilidade dessa instituição, contribuindo para o sustento de nossos cooperados. Teoricamente, seria algo que não serve mais, mas todo esse material volta transformado para a sociedade”, disse ele, frisando que a cooperativa iniciou os trabalhos em 2003.

O presidente do Núcleo Socioambiental do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Jorge Rachid, enfatizou o papel da Corregedoria. “Eu fico muito feliz ao ver que a Corregedoria Geral da Justiça está cada vez mais integrada nesse programa de reciclagem. O corregedor Paulo Velten realizou um grande trabalho e fecha com chave de ouro em todos os níveis, em todos os setores, principalmente, nessa questão que envolve a sustentabilidade. Então, para nós, do Núcleo, é muito gratificante ver a destinação dada a essas toneladas de papel, indo para a reciclagem e ajudando famílias. Está de parabéns a CGJ-MA e o Poder Judiciário como um todo”, ressaltou. 

200 MIL PROCESSOS DOADOS

Priscila Sousa, diretora da Divisão de Gestão e Controle Documental da CGJ-MA, explicou que foram doados durante a gestão mais de 200 mil processos. “O quantitativo de material doado ultrapassou os 200 mil processos, sendo que ainda estão aptos a serem repassados à cooperativa mais 50 mil”, disse ela, destacando que são processos que já passaram por todos os trâmites administrativos, cumprimento de prazos legais, de editais, processos oriundos de varas cíveis e juizados especiais da capital.

Em fala, o desembargador Paulo Velten destacou a importância da política socioambiental do Poder Judiciário. “Hoje estamos aqui entregando esses mais de 90 mil processos. Teoricamente, seria um material que de nada mais valeria, mas para essas famílias, é uma forma de renda, de sustento, e o Judiciário sempre teve essa sensibilidade em firmar parceria com a cooperativa. Trabalhar com a garantia do desenvolvimento sustentável é trabalhar causando a menor quantidade de danos possíveis ao meio ambiente.

Também estava na solenidade Cássia Rodrigues, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente; Lucas Sousa, da Procuradoria-Geral do Estado do Maranhão; e a professora Andrea Araújo do Carmo, superintendente de Gestão Ambiental da Universidade Estadual do Maranhão. A iniciativa também resulta da assinatura de Termo de Cooperação Técnica da Ecoliga - Sustentabilidade no Poder Público Maranhense, que reune um conjunto de instituições públicas, dentre as quais o Poder Judiciário, o Ministério Público e a UEMA, com o objetivo de aprimorar a gestão socioambiental e o desenvolvimento sustentável.

Ao final, assinaram o termo de doação do material o corregedor Paulo Velten, o desembargador Jorge Rachid e o presidente da COOPRESL, Gilmar Amorim. O termo de cooperação entre o Judiciário e a cooperativa foi firmado em 2016. Além do papel para reciclagem, são entregues à cooperativa também todas as caixas plásticas em que estavam acondicionados os processos descartados. 


Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça
asscom_cgj@tjma.jus.br

GALERIA DE FOTOS