Portal do Poder Judiciário do Estado do Maranhão

BG Comunicados
Clique para fechar

2ª Câmara Cível do TJMA realiza correição até o dia 31 de julho

A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) iniciou nesta quarta-feira (12) correição geral ordinária, conforme decisão e assinatura da Portaria-TJ 57102017, pela presidente da Câmara, desembargadora Nelma Sarney, e pelos desembargadores Antonio Guerreiro Junior e Marcelo Carvalho. Durante a correição – que se estenderá até o dia 31 deste mês – os prazos processuais ficam suspensos, sendo restituídos às partes para o transcurso do período faltante, após o término da correição. A realização de sessões de julgamento e o atendimento ao público – partes e advogados – na secretaria e nos gabinetes dos três desembargadores, também estão suspensos no período, exceto quanto aos processos em trâmite por meio do sistema de Processo Judicial Eletrônico (PJe). A correição, que totaliza um período de 20 dias, vai analisar exclusivamente o acervo de processos físicos. Os advogados que detenham autos de processos físicos da 2ª Câmara Cível do TJMA devem devolvê-los, imediatamente, assim como a Procuradoria Geral da Justiça, Procuradoria Geral do Estado e Defensoria Pública do Maranhão. As reclamações a respeito de irregularidades ou sugestões sobre o funcionamento dos gabinetes ou da secretaria, ou ainda, acerca dos procedimentos ou atividades de serventuários, poderão ser apresentadas à secretaria da Segunda Câmara Cível. Os processos com pedido de tutela provisória, liminar e todas as prioridades legais serão apreciados com a urgência que cada caso requer.

Clique para fechar

PROCESSO SELETIVO - GABINETE

O gabinete do desembargador Paulo Velten abre inscrições para seletivo simplificado para cargo em comissão de assessoramento, voltado para servidores efetivos das carreiras judiciárias e compreenderá exame de curriculum vitae, provas de conhecimentos teórico e prático e entrevista. Os interessados deverão encaminhar curriculum vitae para o e-mail des.veltenpereira@tjma.jus.br até o dia 24 de julho deste ano, o que importará automática inscrição. As datas das provas e da entrevista serão divulgadas em breve. Informações: (98) 3198.4426 / 4427

Busca ▼
O Fórum Nacional de Conciliação e Mediação aconteceu no Rio de Janeiro.

O Fórum Nacional de Conciliação e Mediação aconteceu no Rio de Janeiro.

Magistrados do TJMA participam de Fórum Nacional de Conciliação e Mediação

17
MAI
2017

12:04

O presidente do Núcleo de Solução de Conflitos do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador José Luiz Almeida, o juiz Alexandre Abreu (coordenador do Núcleo no Estado), a juíza Ana Beatriz Maia (coordenadora do Núcleo de Imperatriz) e o juiz Júlio Praseres (auxiliar da Presidência) participaram, no Rio de Janeiro (RJ), do V Fórum Nacional de Mediação e Conciliação (FONAMEC), realizado nos dias 11 e 12 deste mês.

A programação do evento – que teve como tema central "Plataforma Digital – uma Justiça para o Século XXI" – incluiu exposições, fóruns de debates, com a participação de ministros, juízes, professores e executivos de empresas, com abordagens sobre Mediação e os Serviços Extrajudiciais, Desjudicialização e Empoderamento do Consumidor, Plataforma de Mediação Digital do CNJ, Mediação de Conflitos, dentre outras.

Durante o Fórum, a magistrada Ana Beatriz Maia – juntamente com a advogada Milena Faria – apresentaram o projeto "Mediar para Educar", cujo objetivo é implantar a cultura de conciliação e mediação nas escolas, através de capacitações e novos estímulos à harmonia desde a infância, tornando o diálogo um instrumento eficiente para a resolução de conflitos.

O presidente do Núcleo de Conciliação do TJMA, desembargador José Luiz Almeida, afirmou, na ocasião, que o Judiciário maranhense – reconhecendo a importância de investimentos nos meios digitais de solução de conflitos – não tem medido esforços no sentido de implantar novas práticas que contribuam para fomentar a cultura de pacificação social no Estado.

Os debates abordaram as principais demandas existentes em todos os estados brasileiros, com análises sobre a implementação de políticas para o tratamento adequado de conflitos, com uniformidade.

O juiz Alexandre Abreu ressaltou a relevância do FONAMEC ao possibilitar a troca de conhecimentos, experiências e boas práticas entre representantes dos Núcleos de Conciliação de todo o país.

"Um dos maiores problemas enfrentados pelo Judiciário brasileiro é, indiscutivelmente, o crescente volume de processos. Com essa preocupação, o Fórum Nacional tem aprofundado o debate sobre a mediação digital, que se constitui numa alternativa moderna, fácil, ágil, que possibilita ao cidadão solucionar suas demandas, em plataformas públicas ou privadas", pontuou.

O magistrado enfatizou que o Tribunal de Justiça do Maranhão está avançado nessa questão, com iniciativas importantes, a exemplo do programa de estímulo ao uso dos meios digitais de solução de conflitos, aprovado pela Corte. Ele citou também a Resolução nº 8/2017, que determina as medidas a serem adotadas pelo Judiciário, para orientar magistrados e servidores quanto ao uso das plataformas digitais e suas vantagens.

FONAMEC - O Fórum Nacional de Mediação e Conciliação – instituído em 12 de dezembro de 2014, durante o Encontro Nacional dos Núcleos de Conciliação promovido pelo CNJ – visa promover discussões e apresentar boas práticas para aprimorar o exercício das funções desempenhadas por seus integrantes, buscando aperfeiçoar cada vez mais os métodos consensuais de solução de conflitos por meio do intercâmbio de experiências.

Com atuação em âmbito nacional, ele é formado pelos coordenadores dos Núcleos Permanentes de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemecs) dos Estados e do Distrito Federal e pelos magistrados dirigentes dos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs).

 

Amanda Campos

Assessoria de Comunicação do TJMA
asscom@tjma.jus.br
(98) 3198.4370

 

 

Para acompanhar as notícias do Poder Judiciário, siga o nosso Twitter e curta nossa página no Facebook.

aspas É permitida a reprodução do conteúdo publicado neste espaço, desde que citada a fonte.aspas2