TJMA esclarece dúvidas sobre doação de sangue

23/11/2020
Ascom/TJMA

O Tribunal de Justiça, por meio da Divisão Psicossocial, divulga entrevista da hematologista Tula Alves Borges Siqueira, sobre doação de sangue


Toda pessoa pode doar? Quem são as pessoas inaptas?

Não. Primeiramente, o doador deve ter entre 16 e 69 anos. 

Pesar acima de 50 quilos e, sendo menores de 18 anos precisam estar acompanhados dos pais ou apresentar autorização. 

As pessoas diabéticas em uso de insulina não podem doar, por sua vez, os pacientes diabéticos que usam medicamento oral, desde que a glicemia esteja controlada, são aceitos na doação. 

Os pacientes hipertensos necessitam demonstrar a autorização do cardiologista, pois existem medicações que controlam a pressão alta e não permitem a doação.

Pessoas que usam piercing não podem doar e as pessoas que possuam tatuagem só podem doar se essa tiver sido feita há mais de um ano.

Pacientes que tiveram hepatite com menos de onze anos de idade podem doar e os que tiveram hepatite com mais de onze anos de idade não podem fazer a doação. 

Pacientes que estejam amamentando e que o parto tenha sido realizado há mais de um ano podem doar. 

Gestantes não podem doar. 

Homens podem doar a cada dois meses e mulheres a cada três meses.

Em face da pandemia, existem novas recomendações a respeito?

Tivemos algumas mudanças, tais como distanciamento na área da coleta e o número menor de doadores na sala para como protocolo de controle e prevenção. 

O Ministério da Saúde autoriza pessoas que já tiveram Covid e que não testaram positivo, ou seja, com PCR negativo (em torno de duas ou três semanas pós Covid), pois não transmitem a doença e assim, podem ser doadores. 

Qual é a importância para a sociedade da campanha de doação de sangue?

No mês de novembro temos a campanha de conscientização sobre a necessidade da doação de sangue.  

Essa necessidade é contínua. O Hemocentro trabalha também aos sábados e os doadores serão sempre bem vindos. 

Muitas pessoas têm receio de doar. Qual mensagem você daria a essas pessoas?

O sangue não é comprado, não pode ser adquirido em hospitais privados ou públicos, ou seja, só pode ser adquirido a partir da doação. 

A única forma de recuperação dos pacientes oncológicos que estejam em tratamento e dos pacientes que sofreram acidentes politraumatizados é através da transfusão feita a partir do sangue doado. 

A doação de sangue é fundamental para manter os estoques dos bancos de sangue nos hospitais. Então, o doador está preservando a vida de alguém que está em risco, que amanhã podem ser eu ou você. 

O sangue é vida e o doador mantém essa vida pulsando.

Caso tenha dúvida da possibilidade em doar, compareça no Hemocentro e converse com os nossos médicos que eles vão promover orientações de forma individualizada e satisfatória.

PERFIL

Tula Alves Borges Siqueira - Médica formada pela Universidade Federal do Maranhão, especialização em Clínica Médica com complementação da formação em Terapia Intensiva pela Fundação Hospitalar do Distrito Federal e Hematologista/Hemoterapeuta pela Universidade Estadual de São Paulo. Hematologista do Hemocentro do Maranhão, Hospital do Câncer do Maranhão, UDI Hospital e HAIMA.

Agência TJMA de Notícias
(98) 3198-4370

GALERIA DE FOTOS