Acusados de assassinato são julgados em Arari

05/12/2022
Michael Mesquita

O Poder Judiciário da Comarca de Vara Única de Arari realizou, na última quinta-feira, dia 1º de dezembro, uma sessão do Tribunal do Júri na unidade judicial. O julgamento, presidido pelo juiz titular João Paulo de Sousa Oliveira, teve como réus José Benedito Maciel e Walisson Lopes Lima. Eles estavam sendo acusados de prática de crime de homicídio que vitimou José Cantídio Pereira Neto. Ao final da sessão, José Benedito foi absolvido pelo conselho de sentença. Já o outro réu, Walisson Lopes Lima, foi considerado culpado, recebendo a pena de 12 anos de reclusão, a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado. Destacou a denúncia que, em 6 de fevereiro de 2020, na estrada que dá acesso ao Povoado Murici, zona rural de Arari, os denunciados teriam matado José Cantídio a tiros. 

Seguiu a denúncia relatando que José Cantídio, em 2019, afirmava que sua arma havia sido roubada, e que não noticiou o roubo à polícia em razão da ilegalidade do porte. Aduziu a vítima que os autores do roubo da arma foram Davide Costa de Sousa e Walisson Lopes Lima. Foi averiguado, ainda, que os dois denunciados eram muito próximos. Durante cumprimento de um mandado de busca e apreensão na casa de José Benedito, a polícia encontrou um celular, que continha diversas mensagens apagadas, datadas de um dia após o crime. 

Indagado sobre tais mensagens de celular, José Benedito afirmou tratar-se de conversas sobre o retrovisor de uma motocicleta, e que teria apagado as conversas depois que descobriu que Walisson estava preso. José Benedito afirmou que, no dia do crime, estava trabalhando em uma reforma. Durante interrogatórios, José Benedito e Walisson Lopes acusaram-se mutuamente, um atribuindo ao outro a autoria dos disparos que vitimaram José Cantídio. 

“As defesas de ambos os acusados sustentaram a tese de negativa de autoria, por não estarem os denunciados no local onde se deu o delito, não possuindo nenhuma relação com o crime. (…) O Conselho de Sentença após reconhecer, por maioria, a materialidade e a autoria delitiva, também por maioria de votos, respondeu negativamente ao quesito de absolvição genérica em relação ao acusado Walisson Lopes Lima (…) Quanto ao acusado José Benedito Maciel, foi respondido positivamente, por maioria de votos, a materialidade, tendo sido afastada a tese do Ministério Público de participação no crime”, destacou o juiz na sentença.

A sessão do Tribunal do Júri foi realizada no Salão do Fórum de Arari, funcionando na acusação o promotor de Justiça Peterson Armando Azevedo de Abreu. Na defesa dos acusados, os advogados Erivélton Lago, Luanna Dalya Andrade Lago Campos, Thiago Antônio Pires Neto e José Carlos Pires de Sousa.

Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça
asscom_cgj@tjma.jus.br

GALERIA DE FOTOS