JÚRI POPULAR | 59 réus serão julgados em São Luís no mês de agosto

31/07/2020
Núcleo de Comunicação do Fórum de São Luís

O Tribunal de Júri de São Luís julga em agosto 59 acusados de crimes dolosos contra a vida. As sessões começam nesta segunda-feira (03), no Fórum Des. Sarney Costa (Calhau), quando sentarão no banco dos réus Raimundo Nonato Silva Campos e Valdecir Benedito Soares. Para prevenir o contágio pelo novo coronavírus (Covid-19) serão adotados protocolos como sanitização dos salões de júri, obrigatoriedade do uso de máscaras e higienização das mãos com álcool 70º, distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas, controle de acesso ao público, entre outras medidas sanitárias.

 

O 1º Tribunal do Júri julgará no mês Raimundo José Costa (04), Danilo Pereira Costa (05), Thalysson Farias de Sousa (06), Fábio Costa Dias (10), Taylson César Silva Costa, Bismarck da Silva Amorim, Gutemberg Vieira Diniz e José Francisco Gonçalves da Silva (11), Alan Ramos da Silva (13), Valdenilson Garcia (17), Rafael Douglas da Silva (19), Genilson de Sousa Araújo (18) e Luiz Alves da Silva (20). As sessões serão presididas pela juíza Rosângela Santos Prazeres Macieira.

 

Os jurados do 2º Tribunal julgarão os acusados Dionilson Sena Cordeiro (06), Júnior Vieira Lobo (07), Gilvan Feitosa Pinheiro (11), Gabriel Cris Serra e Paulo Eduardo Meireles Dias (13), Luiz Antônio Sodré Rodrigues (18), José Ribamar Rodrigues Neto (20), Josué Santos da Silva, Rony Kássio Chaves de Araújo, Anderson da Silva Pereira, Antônio Victor Sousa Campelo, Eduardo Glauber Marques Pereira e Izaias dos Santos Pereira (25) e Jesus Aquiles de Sousa Viana (27). Presidirá as sessões o juiz Gilberto de Moura Lima.

 

Na 3ª Vara do Tribunal do Júri, que tem como titular o juiz Clésio Coelho Cunha, além de Raimundo Nonato Silva Campos (dia 03), sentarão no banco dos réus também Urubatan Pinheiro Passos (05), Thiago Eduardo França (07), Donaldson Edmar Nogueira França (10), Clayton Luis Cunha e Mauro Da Conceição Souza (12), Ednaldo Martins Mota (14), Jadson Rosa Câmara, José Ivan Silva Câmara e Luís Antônio Pavão Ferreira (17), Jonhnyson Visgueira Gomes (19), Elton Jorge Almeida Araújo (21), Sandro Mendes Oliveira e Huanderson Santos Silva (24), Joglielson Barros Mendes (26), Gabriel Oliveira Santos e Jamilson Vieira Araújo (28) e Antônio Marcos Alves Lavrador (31).

 

Presidido pelo juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior, o 4º Tribunal do Júri em agosto julgará, além de Valdecir Benedito Soares (dia 03), os réus Wanilson da Silva Berredo (05), Jairo Reis Gomes e Jenildson Costa Moreira (07), Marco Antônio Morais Santos (10), Laurenilson Nascimento Veloso (12), Jefferson Jorge Guterres Oliveira (14), Maycon de Oliveira Silva (17), Jairo Rosa da Silva (19), Ronnigleydson Santos Costa (21), Alessandro de Oliveira Souza (24), Thalyson Henrique Rodrigues Cardoso (26), Alan Bruno de Jesus Martins (28) e Julio Cesar Pinheiro Cutrim (31).

 

As Varas do Júri são responsáveis pelo julgamento de crimes dolosos contra a vida, como homicídio e tentativa de homicídio, aborto e auxílio ao suicídio.

 

PANDEMIA - para prevenir a propagação da infecção pelo novo coronavírus, os salões do júri passam por sanitização sempre no dia anterior às sessões que começam às 8h30; as cadeiras dos jurados ficam afastadas para manter o distanciamento mínimo de 1,5m; foram feitas marcações nas poltronas destinadas ao público para garantir o distanciamento entre as pessoas; será disponibilizado álcool em gel 70º para uso de todos os presentes; os jurados recebem kits de Equipamento de Proteção Individual (EPI) com máscaras, protetores faciais, luvas descartáveis e álcool em gel.


 

O uso permanente de máscaras é obrigatório para todos nas dependências do salão do júri. O local também tem controle de acesso ao público externo, priorizando a entrada de testemunhas processuais, familiares de vítimas e acusados, jurados, promotores de Justiça, defensores públicos e advogados das partes.

 

De acordo com a Portaria-conjunta 34/2020 do Tribunal de Justiça e Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão, que estabelece protocolos mínimos para a retomada gradual das atividades presenciais no Judiciário maranhense, as sessões de júri popular poderão ocorrer presencialmente com decisão fundamentada do magistrado e em observância à recomendação 62 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Devido à pandemia da Covid-19, as atividades presenciais estavam suspensas desde o último dia 19 de março e foram retomadas no dia 1º de julho.

 

Núcleo de Comunicação do Fórum de São Luís