Portal do Poder Judiciário do Estado do Maranhão

BG Comunicados
Busca ▼
 O desembargador Paulo Velten abriu o Happy Hour Cultural e apresentou o autor  (Foto: Ribamar Pinheiro)

O desembargador Paulo Velten abriu o Happy Hour Cultural e apresentou o autor (Foto: Ribamar Pinheiro)

CULTURAL | Obra de Waldemiro Viana é apresentada no Happy Hour da ESMAM

Leitores e críticos opinaram sobre a obra, analisando detalhes do romance policial

16
ABR
2018

10:58

O romance “A Tara e a Toga”, do escritor integrante da Academia Maranhense de Letras (AML) Waldemiro Viana, foi destaque no Happy Hour Cultural da Escola Superior da Magistratura (ESMAM), na tarde de sexta-feira (13).

O autor falou a uma plateia seleta de escritores, advogados, magistrados e servidores do Judiciário, destacando aspectos curiosos da narrativa, inspirada numa das histórias policiais verídicas mais conhecidas em São Luís, o Caso Pontes Visgueiro, ambientada na São Luís do século XIX.

Conta a obra que Visgueiro fora nomeado pelo imperador para dirigir o Tribunal do Comércio de São Luís. Era um juiz alagoano com problemas de audição, austero e muito respeitado. Até que se apaixonou perdidamente pela jovem prostituta Mariquinha, que o dominava por completo. Numa noite, o velho magistrado levou Mariquinha para a casa dele, onde, alucinado, a assassinou e esquartejou.

“Sou um grande mentiroso. Tudo nessa obra é ficção, exceto as personagens principais. Muita coisa aqui não existiu - cenário, diálogos - são fruto da minha imaginação. Até o suspense do desfecho”, disse, em tom bem humorado, ao abrir a roda de conversa guiada pelo desembargador e membro da AML, Lourival Serejo.

Questionado sobre o que motivou a escolha do tema, Viana lembrou que a ideia foi proposta pelo jornalista e escritor José Louzeiro, à época um incentivador de novos talentos em literatura policial. “A obra ficou pronta três meses depois da nossa conversa, em 2003; mas não pude publicá-la de imediato, estava sem editora. A publicação só ocorreu em 2010, pela Estação Gráfica”, ressaltou.

Estiveram presentes no Happy Hour os escritores maranhenses Ceres Fernandes, José Ewerton Neto; além dos advogados Kleber Moreira, Bruno Duailibe e o juiz Manoel Aureliano Neto. 

Waldemiro Viana também é autor das obras “Graúna em Roça de Arroz” (1995), “A Questionável Amoralidade de Apolônio Proeza” (1991), “o Mau Samaritano” (1999), “O Pulha Fictício” (2012) e “A Vez da Caça” (2015), além de “Passarela do Centenário, Outros Perfis” (2008) e “Maria Celeste”, que reúne dados biográficos em sonetos de todos os membros da AML.

HAPPY HOUR - O Happy Hour Cultural é uma iniciativa da ESMAM que viabiliza lançamento e análise de obras literárias, apresentação de talentos, espaço para debates sobre temas da atualidade, ciência, arte e entretenimento, sempre com um convidado de destaque. O projeto faz parte do calendário de ações da instituição.

 

Assessoria de Comunicação do TJMA
(asscom@tjma.jus.br)
(98) 3235 3231 – ESMAM
 

aspas É permitida a reprodução do conteúdo publicado neste espaço, desde que citada a fonte.aspas2