Portal do Poder Judiciário do Estado do Maranhão

BG Comunicados
Busca ▼
Desembargador Paulo Velten e as instrutoras do CNJ, Valéria Ferioli Lagrasta e Fernanda Rocha Lourenço

Desembargador Paulo Velten e as instrutoras do CNJ, Valéria Ferioli Lagrasta e Fernanda Rocha Lourenço

CULTURA DE PAZ | Esmam treina profissionais para resolução de conflitos através da conciliação

A formação é ministrada por instrutores do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

20
NOV
2017

13:20

O diretor da Escola Superior da Magistratura do Maranhão (Esmam), desembargador Paulo Velten, abriu nesta segunda-feira (20) as aulas da Capacitação em Conciliação e Mediação. A turma é formada por servidores do Judiciário e acadêmicos das instituições de ensino superior parceiras previamente selecionados. A formação é ministrada por instrutores do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

Com carga horária de 100 horas, o curso é composto de dois módulos: teórico (40 horas) e estágio supervisionado (60 horas), além de avaliação e dinâmica de encerramento. A primeira fase será realizada na sede da Esmam, de 20 a 24 de novembro. O estágio supervisionado obrigatório, que deverá ser cumprido sob termo de compromisso e adesão, acontecerá nos centros judiciários de solução de conflitos, localizados em São Luís.

De acordo com o edital de seleção, após concluir a formação, o candidato deverá atuar, por 12 meses, como mediador/conciliador voluntário no Tribunal de Justiça, sendo considerado para computo desse período o tempo de estágio realizado.

INSTRUTORES - Participam como instrutores as professoras-doutoras Valéria Ferioli Lagrasta (Juíza do TJSP, conselheira do Fórum Nacional de Mediação – FONAME) e Fernanda Rocha Lourenço (advogada, mediadora privada certificada pelo International Mediation Institute e ADR Group, vice-presidente do Conselho Nacional das Instituições de Mediação e Arbitragem – CONIMA), Eutália Maciel Coutinho (advogada, mestre em Direito, diretora do Centro Brasil de Mediação e Arbitragem – Cebramar) e André Carias (juiz do TJPR, mestre em Direito, Juiz de Direito Substituto do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, atuando junto ao Núcleo de Conciliação e Mediação das Varas de Família e Sucessões de Curitiba).

CONTEÚDO - Além dos aspectos técnicos relativos à formação de conciliadores, o curso tem como objetivo caracterizar a postura do ser humano frente ao conflito e as diversas abordagens de sua resolução, identificando os efeitos da atuação facilitadora na produção de resultados satisfatórios para as partes em conflito.

Os candidatos também serão treinados para identificar o conceito, os elementos e o escopo do processo de mediação; os indicadores de qualidade que mensurarão o grau de sucesso da mediação e guiarão o processo de certificação dos mediadores; e a mediação como componente da política
pública do Poder Judiciário para a disseminação de uma cultura de paz.

De acordo com a proposta formativa, os participantes também aplicarão as 12 ferramentas utilizadas pelo mediador para estimular as partes a identificarem possíveis soluções para o conflito: sessões privadas, afago, recontextualização, validação de sentimentos, audição de propostas implícitas, silêncio, inversão de papéis, geração de opções, normalização, organização de questões e interesses, enfoque prospectivo e teste de realidade.

Assessoria de Comunicação do TJMA
(asscom@tjma.jus.br)
(98) 3198 4370
(98) 3235 3231
 

aspas É permitida a reprodução do conteúdo publicado neste espaço, desde que citada a fonte.aspas2