Portal do Poder Judiciário do Estado do Maranhão

BG Comunicados
Clique para fechar

SUSPENSÃO PARCIAL DE EXPEDIENTE EM BURITICUPU, DIA 21

Em razão da entrega de livros arrecadados pela 1ª Vara de Buriticupu, a ser realizada nesta quarta-feira (21), às 10h, o expediente na unidade estará suspenso na referida data, das 8h às 14h, de acordo com decisão do corregedor-geral da Justiça.

Busca ▼
Juíza Ticiany Palácio (centro) durante o XXI Congresso Mundial de Direito.

Juíza Ticiany Palácio (centro) durante o XXI Congresso Mundial de Direito.

QUALIFICAÇÃO | Juíza apresenta artigo no XXI Congresso Mundial de Direito na Colômbia

07
MAI
2018

15:38

A juíza Ticiany Gedeon Maciel Palácio, titular da 2ª Vara Cível de São José de Ribamar, participou no período de 2 a 4 de maio, do XXI Congresso Mundial de Direito Registral realizado na cidade de Cartagena das Índias, Colômbia. Durante o evento, que contou com a presença do presidente do Supremo Tribunal Federal da Espanha, ministro Francisco Marín Castán, a magistrada apresentou um artigo que trata sobre a “Proteção do Terceiro de Boa-Fé no Brasil”.

O evento, realizado a cada dois anos, foi organizado pela Superintendência de Notariado e Registro da Colômbia e pelo Centro Internacional de Direito Registral (CIPRA-CINDER). Entre os destaques do congresso, os participantes discutiram temas como: A reorganização de propriedades nos processos de paz; Resolução de conflitos de terra e o papel do Registro de Imóveis; Restituição de terras e o direito de comunidades indígenas; Evolução dos registros de propriedade. Como eles podem ser reformados?; Cooperação entre registros e cadastros; Novas tecnologias e reforma dos registros da propriedade; Organização dos registros para o século XXI; e A gestão privada dos registros da propriedade, dentre outros.

Segundo a magistrada, a apresentação e debate sobre a 'Lei de Extinção de Domínio' foi o tema mais disputado do congresso, uma medida de precaução nos direitos de registro e propriedade no atual cenário de pós-conflito vivido pela Colômbia. "No contexto do pós-conflito, a segurança jurídica da propriedade se consolida à medida que há um mecanismo idôneo para evitar situações como a desapropriação de terras", afirmou o superintendente de Notário e Registro Jairo Alonso, durante palestra.

Para a juíza Ticiany Palácio, o congresso teve como objetivo constituir uma fonte de conhecimento e aprendizagem sobre o registro da propriedade, tendendo a aprofundar a investigação sobre os avanços da matéria em nível mundial. “Na Colômbia o processo de alienação e desapropriação de bens imóveis oriundos de corrupção e tráfico de drogas é muito moderno e ágil, o que reflete bem o momento que a sociedade mundial vive; e o nosso entendimento é que o Brasil precisa avançar nesse sentido”, explicou a magistrada.

De acordo com dados divulgados no congresso, existem atualmente na Colômbia 33 mil imóveis alienados antecipadamente, objetos de corrupção e tráfico.

Participaram do evento, dentre outras autoridades acadêmicas, os doutores Benito Arrunada, da Universidad Pompeu Fabra, Espanha (Catedrático da Organização de Empresas da Universidade de Pompeu Fabra, Barcelona); Klaus Deininger, do Banco Mundial da Alemanha (Economista principal do Grupo de Desenvolvimento Rural “Development Economics Group”); o procurador-geral da Colômbia, Néstor Humberto Martínez; e o ministro da Justiça, Enrique Gil.

 

Márcio Rodrigo

Assessoria de Comunicação

Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão

asscom_cgj@tjma.jus.br

www.facebook.com/cgjma

Para acompanhar as notícias do Poder Judiciário, curta nossa página no Facebook.

aspas É permitida a reprodução do conteúdo publicado neste espaço, desde que citada a fonte.aspas2