Portal do Poder Judiciário do Estado do Maranhão

BG Comunicados
Clique para fechar

MARACAÇUMÉ ESTÁ COM PROBLEMAS DE TELEFONIA

O Fórum da Comarca de Maracaçumé está com problemas de telefonia. A linha que atende na secretaria judicial está inconstante. De acordo com informações de servidores do fórum, ainda não há previsão para que a linha retorne ao normal.

Busca ▼
apac pedreiras

apac pedreiras

Diretoria da APAC de Bacabal visita unidade de Pedreiras

03
JUL
2017

10:46

Integrantes do Judiciário e da diretoria da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados da Comarca de Bacabal fizeram uma visita à APAC de Pedreiras. A comitiva foi recebida pela juíza Ana Gabriela Everton, titular da 2a Vara e responsável pela execução penal em Pedreiras. A unidade APAC de Bacabal está em fase de implantação e tem como diretor o Padre Ribamar Cardoso. A visita ocorreu na última semana.

Estiveram na visita à APAC os juízes Daniela de Jesus Bonfim (2a Vara de Bacabal), Jorge Antônio Sales Leite (3ª Vara da Comarca de Bacabal), o defensor público Davi Pessoa de Lucena, além do Padre Ribamar, atual Presidente da APAC de Bacabal. “O Padre Ribamar muito fez pela APAC de Pedreiras, inclusive sendo um de seus fundadores e grande defensor e parceiro até hoje”, reconheceu Ana Gabriela.

Na oportunidade, a magistrada anfitriã deu as boas-vindas aos visitantes e enfatizou a simpatia pela metodologia apaqueana. “É de uma eficácia notória esse método na execução penal. Sempre válido observar a grande vantagem das saídas temporárias com 100% de retorno sempre”, destacou Ana Gabriela. Ela se prontificou em auxiliar no que fosse necessário durante esse processo de implantação da unidade APAC em Bacabal.

Sobre a APAC – A metodologia Apac nasceu em São Paulo na década de 1970 e sua finalidade é funcionar como uma organização de auxílio à execução penal, sempre em parceria com a comunidade local. Esse modelo participativo garante o rompimento com preconceitos e garante a completa recuperação do preso dentro de um processo construtivista e de divisão de responsabilidades com a sociedade a sua volta.

A eficácia da metodologia é comprovada em números. Enquanto no modelo prisional tradicional o índice de reincidência criminal cometida pelos egressos chega a 70%, já na Apac esse percentual cai para apenas 15%. A associação opera como entidade auxiliar dos poderes Judiciário e Executivo, respectivamente, na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade nos regimes fechado, semiaberto e aberto.

A metodologia APAC fundamenta-se no estabelecimento de uma disciplina rígida, caracterizada por respeito, ordem, trabalho e o envolvimento da família do sentenciado. A principal diferença entre a Apac e o sistema carcerário comum é que, na Apac, os presos (chamados de recuperandos pelo método) também são responsáveis pela sua própria recuperação. Para contribuir nessa busca, eles receberem assistência espiritual, médica, psicológica e jurídica, prestadas pela comunidade.

Hoje, a APAC instalada na cidade de Itaúna (Minas Gerais) é uma referência nacional e internacional, demonstrando a possibilidade de humanizar o cumprimento da pena. No Maranhão são nove Associações de Proteção e Assistência aos Condenados, sendo a de Pedreiras a pioneira no Estado, criada em 2005.

 

Michael Mesquita
Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão
asscom_cgj@tjma.jus.br
www.facebook.com/cgjma
 

Para acompanhar as notícias do Poder Judiciário, siga o nosso Twitter e curta nossa página no Facebook.

aspas É permitida a reprodução do conteúdo publicado neste espaço, desde que citada a fonte.aspas2